Editorial

Todos os condenados no ‘mensalão’ declaram ter sido injustiçados. São todos inocentes, engabelados por outros mais espertos… Enfim, quem manda o povo brasileiro não saber votar? Maus políticos são reeleitos, vezes sem conta. A Lei da Ficha Limpa ainda não vigora e a morosidade no julgamento dos políticos ‘ficha suja’, desanima. Quantos prefeitos e vereadores ‘ficha suja’ serão diplomados e assumirão o cargo em janeiro? Muitos.

Políticos corruptos têm mais tentáculos (e mais longos) que polvo. Trocam favorecimentos em todas as instâncias para adiar ad infinitum o julgamento de seus atos corruptos. Isso acontece porque se há corruptos, há também os que se deixam corromper, há os que se vendem e os que pagam para alcançar o poder.

E a corrupção, hoje, não se restringe às esferas federal e estadual; estão também nos municípios, como tem publicado a mídia regional diariamente. Muitas vezes defendi a tese de que se tivéssemos bons políticos no município, certamente teríamos bons políticos também no estado e, por consequência, na federação. Porque o município é o celeiro de onde saem os políticos; é exercendo cargo político nos municípios que o cidadão se torna apto a ser deputado, governador, senador, presidente. Há que se melhorar, então, o nível político no município; eleger representantes comprometidos com a ética, que combatam qualquer tipo de corrupção local, que façam uma administração isenta de falcatruas…

Quando o eleitor se preocupar em analisar os candidatos para exercer sua cidadania plena, certamente teremos uma mudança no cenário político brasileiro. E não ficaremos somente indignados e comentando o último escândalo divulgado nas mídias.