Exercícios Poéticos – Homenagem aos artistas do Circo Tubinho

Ecos circenses

Primadona era a bailarina
em sua roupa exígua,
purpurina,
em seu rodopiar ligeiro
bicho matreiro.
Exemplar era o palhaço:
ria seu riso
na cara pregado,
pois de pouco siso
era seu trabalho pesado.
Pontual, o equilibrista:
chegava mais cedo,
passava em revista
cordas e arames,
seu solo animado.
Voraz, o engole-fogo,
fogo fátuo na noite escura
inusitado vagalume…
Fera e homem se entreolhavam
num desafio ancestral:
depois, rugiam impropérios
um ao outro.
No picadeiro
num ato derradeiro
Romeu juntava-se a Julieta…
No dia seguinte
sol claro e vida real,
lavavam roupas os ciganos…
como qualquer mortal!

Por: Geni Alves dos Santos