Estações do Ano – os ciclos do tempo

Os primórdios do estudo da Astronomia encontra-se na pré-história da civilização humana. Observar o céu está, certamente, entre as primeiras atividades da humanidade, daí ser um fato que se repete sempre. A Astronomia é a mais antiga das ciências. Segundo historiadores, há registro de atividades astronômicas que datam de 7000 anos.

O interesse pelo céu está ligado a muitos fatores, desde a contagem do tempo, ao período certo para o plantio, até à localização geográfica.

Um dos fenômenos notados, provavelmente, foi a regularidade de alguns ciclos, como um período claro (o dia) e um período escuro (a noite), além da percepção de que o Sol e as estrelas seguim sempre a mesma rota no céu, com um movimento uniforme.

Essa observação das estrelas à noite e do Sol durante o dia possibilitava saber onde as pessoas estavam localizadas geograficamente. Medir o tempo auxiliou a definir a melhor época para o plantio, para a colheita, para a caça, quando voltar para casa, dentre outras coisas.

Dessa observação resultou o conhecimento de que toda vez que o Sol aparecia no horizonte tinha-se passado o período de um dia, ou então que, cada fase da Lua correspondia ao período de uma semana. Um ciclo completo da Lua (Lua nova a Lua nova) correspondia ao período de um mês. Assim, conseguiu-se determinar a duração de um ano de 365 e o início do inverno, da primavera, do verão e do outono.

Foi de suma importância conhecer e tentar dominar os ciclos do tempo, por uma questão de sobrevivência.

 

Estação do Ano

É o nome dado a uma das quatro subdivisões do ano tendo como base os padrões climáticos. Assim, temos Primavera, Verão, Outono e Inverno. Inicialmente o ano era dividido em duas partes. O período quente (em latim “ver”) tinha três fases: o Prima Vera (literalmente “primeiro verão”), de temperatura e umidade moderadas. O Tempus Veranus (literalmente “tempo da frutificação”), de temperatura e umidade elevadas. E o Aestivum (em português traduzido como “estio”), de temperatura elevada e baixa umidade.

O período frio (em latim “hiems”) era dividido em apenas duas fases – o Tempus Autumnus (literalmente “tempo do ocaso”), em que as temperaturas entram em declínio gradual, e o Tempus Hibernus, a época mais fria do ano, marcada pela neve e ausência de fertilidade.

Para ajustar as estações à posição exata dos equinócios e solstícios, correlacionando-as com a influência do movimento de translação associada à mudança no eixo de inclinação da Terra, convencionou-se, no Ocidente, dividir o ano em somente quatro estações. Vale ressaltar que algumas culturas ainda dividem o ano em cinco estações (como a China), em três estações (como a Índia) ou duas, como no continente Africano; em Angola existem só duas estações: a das chuvas (quente e úmida) e o cacimbo (seca e mais fresca).

As estações do ano acontecem por cauda da inclinação do eixo de rotação da Terra em relação ao Sol. O movimento do planeta em torno do Sol dura um ano e recebe o nove de translação; sua principal consequência é a mudança de estações do ano.

As estações do ano no Brasil são marcadas oficialmente nos dias dos solstícios e nos dias dos equinócios. Como o Brasil está quase totalmente no hemisfério sul, a Primavera inicia-se em setembro, o Verão em dezembro, o Outono em março e o Inverno em junho.

Datas aproximadas do início das estações do ano no Hemisfério Norte: dia 21 de março – início da Primavera; dia 21 junho – início do Verão; dia 21 de setembro – início do Outono; dia 21 de dezembro – início do Inverno.

No Hemisfério Sul: dia 23 de setembro – início da Primavera; dia 21 de dezembro – início do Verão; dia 21 de março – início do Outono; dia 21 de junho – início do Inverno.