Editorial

Dia 5 de novembro o município de Pilar do Sul completará 77 anos de Emancipação Politico-Administrativa.

A história de um município começa com um povoado que se transforma em vila que, com o crescimento, é elevada à categoria de município. E foi assim que aconteceu com a Vila de Pilar: no dia 12 de maio de 1891, através do decreto nº. 168, tornou-se município. O primeiro prefeito do recém-formado município foi Euzébio de Moraes Cunha. E por muito tempo Pilar pertenceu à Comarca de Sarapuí.

Um fato curioso é que em 1934, o município perdeu sua autonomia política e voltou à condição de distrito. Só voltaria a recuperar a emancipação em 5 de novembro de 1936, com a aprovação da Lei nº. 2695.

Reza a história que o povo pilarense lutou muito para retomar a Emancipação Política. E lutou pela instalação de escolas. A primeira delas, Grupo Escolar Padre Anchieta (atual Escola Estadual Padre Anchieta) foi inaugurada em 1941.

O município começou sua história com o nome de Capela de Nossa Senhora do Pilar, evoluindo para Capela de Pilar e, finalmente, Pilar.

A denominação Pilar do Sul se deu pelo decreto nº. 14.334, de 1º de dezembro de 1940, e foi uma forma de distinguir o município paulista do município de Pilar, em Alagoas, que era mais antigo.

Município ainda pequeno, Pilar do Sul preserva costumes interioranos. No entanto, já apresenta os problemas que afligem os grandes centros. Há falta de emprego para os jovens, tanto os que terminam o Ensino Médio quanto para os que não concluíram o ensino Fundamental e Médio. Há poucas indústrias instaladas no município e a prefeitura é a empresa com mais trabalhadores, seguida do comércio, trabalho informal e trabalho na agropecuária.

O município proporciona boa qualidade de vida, por isso é muito procurado por pessoas que aqui estabelecem seus lares.

A falta de políticas públicas que estimulem o turismo, a cultura, o esporte faz com que Pilar do Sul não ofereça alternativas de lazer à população, especialmente aos jovens.

E é isso que certamente todos desejamos: que os políticos pilarenses priorizem, em seus projetos, segurança, saúde, educação, assegurando o bem viver com dignidade a todos os cidadãos.