História da Cidade

Por volta de 1850, essa região era aldeia indígena abandonada, onde caçadores sorocabanos e aventureiros à cata de metal precioso montaram rancho para residência temporária, próximo a um pilar de pedra, do qual se valiam para socar as carnes depois de moqueadas. A expressão “pilar a carne” originou o substantivo Pilar que deu nome ao local.

Em 1865, o Tenente Antônio de Almeida Leite adquiriu uma sesmaria, com o objetivo de organizar uma fazenda. Após o desmatamento que mandou proceder, construiu uma capela sob invocação do Senhor Bom Jesus do Bom Fim, e, em 1868, fez doação do terreno ao patrimônio da igreja.

Outro desbravador, João Batista Ribeiro, adquiriu terras junto à capela, onde fundou uma vila.

foto 23

Alguns anos depois, em 1877, Pilar foi elevado à categoria de Freguesia.
Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Nossa Senhora do Pilar, por Lei nº 57, de 11 de maio de 1877, no Município de Sarapuí.

Elevado à categoria de Vila com a denominação de Nossa Senhora do Pilar, por Decreto nº 168, de 12 de maio de 1891, desmembrado de Sarapuí. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 30 de maio de 1891.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Nossa Senhora do Pilar é constituído do Distrito Sede. Assim permanecendo em divisão referente ao ano de 1933.

Antigos Municípios e Distritos de Pilar, e que pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, passaram a denominar-se Pilar do Sul.

No quadro fixado, pelo referido Decreto-lei, para vigorar em 1945-1948, o Município de Pilar do Sul ficou composto do Distrito Sede e pertence ao termo e comarca de Piedade.
Assim permanece nos quadros fixados pelas Leis nºs 233, de 24-XII-1948 e 2456, de 30-XII-1953 para vigorar, respectivamente, nos períodos 1949-1953 e 1954-1958.
Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído do Distrito Sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Gentílico: Pilarense. (Fonte: Biblioteca IBGE)

 

 História da Cidade II

A história de Pilar do Sul começa a ser contada a partir de 1850 com a chegada e Movimentação de tropeiros, caçadores e mineradores em busca de metais preciosos. Com a vinda de famílias procedentes de São João Del Rey (MG) e de tropeiros que começaram a utilizar o lugarejo apenas conhecido pelas pedras onde usavam para piloar a carne de caça onde faziam a paçoca de carne e também utilizavam os pilares de pedras existentes para curtir couro dos animais que caçavam. Motivo esse que começaram a chamar o lugar de Pilar. “Vamos no Pilar, caçar e fazer paçoca”.
Outro motivo que ajudou a justificar o nome do local “Pilar” foi a religiosidade dessas famílias mineiras. Que, pela devoção a Nossa Senhora do Pilar, Santa Espanhola, reforçaram a idéia de chamar o local de Pilar.

foto 24 Cachoeira Nascente das Águas - Márcio Muela

- Pilão de Pedra e Madeira (onde socavam a carne para fazer a paçoca).

- Pilar (onde estivam a caça para o manejo da carne e do couro).

- N. Senhora do Pilar (Santa de devoção dos mineiros).

Em 1865, Antonio de Almeida Leite (Tenente Almeida) adquiriu uma sesmaria nesta região, trazendo consigo muitos escravos a fim de estabelecer uma fazenda agrícola e logo em seguida ergueu uma pequena capela em homenagem ao Bom Jesus do Bom Fim, o qual era devoto. Em 1868 doou um terreno à Paróquia da Diocese de Sorocaba.
Em 11 de maio de 1877, João Batista Ribeiro, com autorização do Bispo da época, fundou a Vila de Pilar elevando-a a categoria de Paróquia, por Lei Providencial.
Em 1891, no dia 12 maio, através de decreto a vila de Pilar ganhou a categoria de Município, no dia 20, do mesmo mês, instalaram uma intendência nomeando o Sr. Euzébio de Moraes Cunha como sendo primeiro prefeito do recém formado município de Pilar.

Durante o início do século XX o município enfrentou muitas dificuldades para se desenvolver, as condições precárias de estradas e a agricultura pouco desenvolvida desencadeou estagnação resultando na perda de sua autonomia política, voltando à condição de distrito, pertencente ao município de Piedade-SP em 1934.
Dois anos depois, no dia 5 de novembro de 1936 Pilar reconquistou sua autonomia-política, retomando o desenvolvimento do município. Nessa luta para a emancipação política destacaram-se os deputados Diógenes Ribeiro de Lima e Elias Machado de Almeida e do próprio Armando de Oliveira Sales, neste ato como governador do estado. Em março do ano seguinte, Eugênio Theodoro Sobrinho tomou posse como primeiro prefeito eleito. Nesse mesmo ano, a Câmara de Vereadores aprovou a lei que doava lotes a todos aqueles que quisessem construir prédios de qualquer natureza. Essa investida serviu para alavancar o desenvolvimento da cidade que até então tinha somente 137 prédios. Na década de 40 o número de casas da cidade já tinha triplicado. Em 1.944, o Município passou a ser chamado de Pilar do Sul.
Privilegiado pelo clima subtropical, incrustado entre rios e vales e portadora de riquezas naturais inexploradas, como sertão, nascentes e reservas da mata atlântica, são os grandes atrativos deste município que também preserva a tradição herdada dos mineiros e dos viajantes tropeiros, destacando-se regionalmente pelas atividades campeiras.
Na culinária, o prato que merece destaque, não só pela história que originou o nome da cidade, mas pelo sabor é a paçoca de carne, socada no pilão, bastante apreciada na região.
Pilar do Sul é uma cidade hospitaleira que preserva os costumes caboclos, típicos da cidade do interior, favorecendo a qualidade de vida de quem escolhe a cidade como lar. Atualmente cresce a cada ano dando destaque ao desenvolvimento agropecuário que é responsável por 70% da economia do município.

Cachoeira de Pilar do Sul - mantoniomartin

A potencialidade turística do município evidente em vários aspectos é um novo reforço para a economia do município que é conhecido como a Nascente das Águas. (Fonte: férias.tur.br)