Grupo Escarafunchar participa do Projeto Ademar Guerra

Grupo de Teatro Escarafunchar inicia o Projeto Ademar Guerra com workshop de voz, ministrado por Gabriel Correa. O trabalho foi desenvolvido, no sábado (25 de maio), no Centro Estudantil e Comunitário.

O Projeto Ademar Guerra tem objetivo de propiciar orientações artísticas a grupos teatrais no interior e litoral do Estado de São Paulo. Criado pela Secretaria de Estado da Cultura. O projeto contrata artistas-orientadores para acompanhar e colaborar nas pesquisas e montagens de espetáculos dos grupos selecionados.

No início do ano, o Grupo Escarafunchar se inscreveu e foi selecionado. Em março, o diretor Guto Carvalho fez uma entrevista em São Paulo, representando o grupo, na qual também foi selecionado. Já em abril, dois representantes do grupo, Guto Carvalho e Kaique Afonso, foram para Tupã/SP participar do encontro preparatório para se iniciar o projeto.

Segundo Guto Carvalho, entrar em contato com um movimento teatral de todo o interior do Estado de São Paulo é uma oportunidade de mostrar o potencial do grupo e buscar, cada vez mais, o profissionalismo.

O primeiro workshop foi com Gabriel Correa, estudante de Artes Cênicas na Unicamp, um dos estagiários do projeto, no qual desenvolveu exercícios de corpo e voz, baseados em Tiche Vianna, Abigail Winer e Marcelo Onofre. “O foco desses dois trabalhos é no corpo do ator, tanto relacionado ao ritmo, a musicalidade e ao canto em cena, quanto ao aumento de possibilidades de interpretação para o ator”, conta Correa.

Para o ator Kaique Afonso, o workshop veio em boa hora para a nova montagem. “Fez-me ver que o trabalho da voz é muito mais complexo do que somente projetá-la, existe todo um mapeamento corporal para efetuar o trabalho”, completa Kaique.

Segundo Correa, o grupo é muito sério, dedicado e concentrado, e está disposto a aprender coisas novas.

O Projeto Ademar Guerra tem duração de aproximadamente seis meses. A partir do workshop, o grupo receberá duas vezes por mês a visita do artista-orientador, Murilo Andrade, estudante de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Londrina (UEL) que irá acompanhar o projeto de criação da nova peça.

Por: Jéssica Nascimento